O Estado do Maranhão sediará a Conferência Nacional Popular e Autônoma de Segurança Alimentar

eleição

eleição

Com o apoio e votação de 16 estados e de várias entidades do Fórum Brasileiro de Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (Fbssan), o Maranhão foi eleito para sediar a Conferência Nacional Popular e Autônoma: por Direitos, Democracia e Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional. A votação aconteceu em Brasília, nos dias 21 a 23 de janeiro, durante a reunião do Conselho de Presidentes e Presidentas dos CONSEAs Estaduais -CPCE. No Maranhão, a Conferência será realizado entre os dias 04 a 06 de agosto.

“Sediar esta conferência no Maranhão é importante por dois motivos principais: é estratégica geograficamente falando, uma vez que os povos indígenas estão concentrados em sua maioria na região norte e nordeste do país e constantemente estão tendo seus direitos subtraídos, e tê-los nessa Conferência é fundamental. E o outro fator preponderante para a escolha do Maranhão,  foi o apoio e a sensibilidade do Governo do Estado com as populações que mais precisam e também a atuação do Consea Estadual, que vem realizando um trabalho muito bom na defesa da soberania alimentar”, pontuou Jean Pierre Câmara, coordenador Nacional da Comissão de Presidentes de Conselhos Estaduais (CPCE).

reunião

reunião

Conferência Nacional, Popular, Autônoma foi convocada durante a “Oficina de Mobilização em Defesa da Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (SSAN)”, realizada em 2019, no Rio de Janeiro. Após análise do aumento da pobreza e da fome, graves ataques aos Direitos Humanos Econômicos, Sociais, Culturais e Ambientais, o aumento da violência e a criminalização de movimentos sociais, e o agravamento dos impactos da austeridade fiscal sobre as políticas que garantem direitos, foi decidido a realização da conferência.

Para a presidente do Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea-MA), Concita da Pindoba, a Conferência é de suma importância para o país, pois será um momento onde as organizações da sociedade civil, conselhos municipais, estaduais indígenas, população urbana, povos tradicionais, representantes da saúde, e agricultores familiares irão construir estratégias de enfrentamento às estruturas que promovem a fome no país.

visita

visita

“O Maranhão estará de braços abertos para receber os 26 estados para debatermos e gerar proposta para garantir a todos o direito a uma alimentação adequada, buscando iniciativas que facilitem o acesso aos alimentos de qualidade e sem agrotóxicos. A alimentação adequada e saudável é direito de todos e de todas”, enfatizou, Concita.

O Fórum Maranhense de Segurança Alimentar e Nutricional, o Consea-MA e a Câmara Intersetorial de Segurança Alimentar do Maranhão (Caisan-MA) já iniciaram as mobilizações.

Confira a carta convocatória na integra: https://fbssan.org.br/2019/07/carta-convocatoria/

 

 

 

texto: Claudilene Maia. Publicação: 02/02/2020

Desenvolvido por: Seção de Desenvolvimento da SEATI - Secretaria Adjunta de Tecnologia da Informação